Páginas

15 novembro 2009

Fanfic - Roubada

Roubada
Caminhava pela calçada em uma Rua de Tulsa, e repassava em minha mente o que ocorrera há alguns minutos. Enquanto eu conversava com Erik, bom não era bem conversar já que ele estava me beijando, Stark apareceu de repente e começou uma discussão nada civilizada. Queriam que eu decidisse com quem ficaria. Não pude responder e Erik começou a falar da dor que sempre o causei, quando Carimbei meu ex-quase-namorado humano Heart e ele teve que suportar meus deslizes, a traição de curto prazo com Loren Blake que já estava morto, e como se já não bastasse, resolvi arriscar em mais um namoro e aceitar que Stark, em quem senti uma ligação imediata, se tornasse meu guerreiro por juramento diante de nossa deusa Nyx, em quem eu teria uma ligação durante toda a vida.
Tentei dizer algo, mas, foi tarde demais. Erik terminou tudo entre nós e foi encontrar com nossos amigos. Stark apenas me encarou por alguns segundos, disse que estava decepcionado e me deixou sozinha.
Percebi que estava em frente à American Eagle quando um arrepio de aviso me fez sair dos pensamentos em que estava imersa. Olhei em volta e tudo parecia vazio e escuro demais. Foi quando aconteceu. De repente o ar em volta começou a ficar pesado, sons de asas batendo traziam consigo um vento gelado que cortou o silêncio e me fez soltar um grito sufocado pelo medo. Queria correr, mas minhas pernas não me obedeciam, sabia que o perigo estava se aproximando e não conseguia reorganizar minha mente para pedir ajuda dos cinco elementos nos quais possuo afinidade, ou gritar ajuda para minha deusa Nyx.
Eles estavam se aproximando, e eu podia ver seus olhos humanos sedentos de sangue brilhando no escuro... Os rostos de aves mutantes... Mãos e pés de homens... Garras afiadas... Eram os corvos escarnecedores.
_ Zzzzzzzoy - as criaturas sussurravam meu nome.
_ Pai querer Zzzoy - um corvo escarnecedor sussurrou um pouco mais alto que os outros tentando cravar as garras em meus ombros. Me abaixei em tempo, mas não o suficiente para que o outro não me agarrasse. Debatia inutilmente, enquanto lágrimas de desespero deslizavam por meu rosto, eu só conseguia gemer. Fechei os olhos e esperei que a dor nos meus ombros viesse, ou que a morte chegasse de repente com uma dor aguda... mas nada aconteceu. Percebi que o corvo escarnecedor tinha me colocado no chão, e tinha ido embora juntamente com os outros. Por um segundo senti alívio, mas depois notei que algo estava errado, eu não estava só. Arrisquei abrir os olhos e fiquei encantada a princípio com o que vi.
Estava num lugar, familiar, rodeada de flores. Havia um profundo lago poucos metros dali, em que a luz da lua cheia era refletida fazendo aquele lugar parecer mágico. Virei de costas para o lago e me deparei com uma grande árvore que se encaixava bem ao local e parecia ter estado sempre ali. Encostado ao tronco estava um homem, de aparência linda. Seu corpo em linhas perfeitas e a pele bronzeada sem falhas ficavam mais belos e sensuais ali. Suas asas escuras completavam sua aparência de anjo, e fazia-me sentir mais atraída.
_ Kalona - disse, sem demonstrar o medo e a atração que eu sentia duplamente.
_ Minha A-ya... amor - ele abriu os braços e asas, se aproximando aos poucos.
_ Sou Zoey Redbird! Não sou sua A-ya, nunca serei. - gritei, tentando me afastar, irritada por ele se referir a mim como se eu fosse a virgem criada há mil anos atrás pelas sábias mulheres Cherokke para aprisioná-lo com seu abraço eterno.

_ A-ya, não pode negar a si mesma. Você pode dizer que é Zoey Redbird, mas no fundo sabe que sua alma é a mesma. Sempre foi a minha Aya, feita para me amar eternamente, só a mim. - ele sorria e se aproximou mais um pouco. Agora estávamos nos encarando tão próximos, que eu sentia sua respiração gelada fazendo carinho em meu rosto de um jeito ao mesmo tempo quente e doloroso.
No fundo eu sentia que era verdade, mas me recusava a acreditar.
_Não! Não fui feita para te amar. O que você sente é desejo, obsessão...
_Eu te amo A-ya. Você sente isso, eu sei.
As asas negras dele me abraçaram, arrastando meu corpo para junto do seu. O toque dele era gelado e suave, e mandava pulsações elétricas por todo meu corpo fazendo-o estremecer automaticamente. Então, ele me beijou. O beijo era doce e ao mesmo tempo cheio de desejo, um desejo mortal que poderia ser confundido com amor ou ódio, fazendo com que ondas de prazer pulsassem cada vez mais violentas dentro de mim. Retribuí o beijo automaticamente. A cada toque intenso de Kalona, uma vibração dentro de mim se intensificava. Não era algo ruim, mas não era bom. Quero dizer, sim, era ruim. Eu me senti A-ya nos braços dele, pronta para amá-lo durante toda a eternidade. Mas toda essa intensidade era retribuída também com ondas de dor, como se eu estivesse sendo cortada por milhares de navalhas afiadas sem parar. A dor era cada vez mais forte... Isso me deixava fraca e sem ar.
Minhas pernas cederam e eu caí de joelhos. Kalona gargalhava de prazer ao me ver. Era como se ele soubesse o que eu sentia, e gostasse disso.
_ Você sente prazer com a dor A-ya. Podemos controlar isso. - seus olhos brilhavam com um sentimento que eu não conseguia distinguir. Olhei para meus próprios joelhos com medo de encará-lo novamente e me sentir mais uma vez atraída pelo seu olhar.
_ Não. - sussurrei, fraca - O que você quer de mim, Kalona? Deixe-me ir.
_ Quero você A-ya. Junte-se a mim, ao seu verdadeiro amor. Te darei o mundo.
_ Nunca deixarei minha deusa por você. E você nunca terá a mim!
Os olhos de Kalona demonstravam dor e ódio ao dizer essas palavras. Ele esbofeteou meu rosto irritado e começou a andar de um lado para o outro agitado.
_ Acha mesmo que Nyx se importa com você A-ya? Acredita ter um amor melhor que o meu?
_ Nyx nunca vai me abandonar. Ela pode ter colocado alguém em minha vida sim.
_ Quem A-ya? Diga! - Kalona me puxou pelo braço, furioso, fazendo com que eu ficasse de pé. Ele segurou meu queixo ferozmente com uma das mãos, eu estava assustada demais para sentir a dor. - Ele morrerá A-ya. É o preço que vai pagar por ter tocado naquilo que não o pertence
.
_Não sou seu objeto, não te pertenço! - Gritei me sentido cada vez mais fraca.
_Eu a possuirei A-ya, é minha por direito e irei desfrutar disso. Você sentirá tanto prazer quanto dor, e vai implorar pela morte. Então, se você ainda assim não aceitar ser minha eternamente, irei matá-la.
_Nunca terá o que deseja, Kalona – solucei.
Ele aproximou os lábios dos meus para mais um beijo, quando foi impedido.
_ Solte-a agora!
Lágrimas caiam de meu rosto. Alegria, dor, tristeza, medo, ansiedade... Amor. Lá estava ele, com seus olhos vermelhos de ódio e o sorriso arrogante que eu tanto amava. Segurava seu Arco já armado com uma flecha de aparência mortal, apontado diretamente para Kalona. Quando seus olhos passaram por mim, senti como se ele tocasse minha alma, afinal, nossos corações não eram um só? Sorri com esse pensamento que veio a cabeça. Apesar de meu coração parecer estar saindo pela boca, senti borboletas voando no meu estômago, e por um momento só havia eu e ele naquele lugar.
_ Stark - sussurrei, agora encontrando toda a força e confiança de que precisava.
Autora: Tândara Lopes Xavier
Merry Meet, Merry Part, Merry Meet Again para todos!!

2 comentários:

  1. nossa mais que perfeita essa heim
    adorei *-*
    Tean Stark, o melhor arqueiro que existe ^^

    ResponderExcluir
  2. Nathalia Cavassa (Nathox)23/11/2009 11:54

    Uia! Mto bom!!!!

    Team Stark 4ever!

    ResponderExcluir

Sua Opinião é Muito Importante para nós!

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.