Páginas

16 outubro 2010

Sugestão de livro - Quebrendo as regras - Arelli, A História de um Anjo

Olá gente,
Vim indicá-los um novo livro; um romance sobre anjos, vampiros, demonios... Em breve receberemos um exemplar para realizar um comcurso. Ainda não lançou, mas lançará em Novembro Tenho certeza que vocês vão gostar!
Título: Quebrando as regras - Arelli, A História de um Anjo
Autora:Nessie Araujo

http://oi54.tinypic.com/15xqvx2.jpg

Prólogo
“Mas observo em meus membros outra lei guerreando contra a lei da minha mente e levando-me cativo à lei do pecado que está nos meus membros” (Romanos 7:23)

Pode alguém conhecer o amor de várias maneiras e com vários sentidos?
Pode esse amor quebrar todas as regras?
Eu conheci esse amor, eu quebrei todas as regras!
Nunca vou esquecer o que aconteceu naquele dia, nunca esquecerei aquele olhar...
Acreditar que algo além de tudo o que vivi pudesse existir, ia além do que eu sempre imaginei.
Numa tarde linda de verão eu vi minha mãe chorando a morte de uma filha, vi a dor insuportável em seus olhos, vi meus filhos chorando e toda a família reunida pelo pesar da dor da perda. Só não imaginava que eu não controlaria aquilo a ponto de me deixar enxergar, mas acho que a vontade de dizer à ela que tudo estava bem e que tinha sido a minha escolha fez com que ela levantasse os olhos e me visse ali parada e sorrindo. Acho que ela percebeu que eu estava bem porque a minha aparência e meu sorriso fizeram minha mãe parar de chorar. Porém foi insuportável ouvi-la gritando meu nome, apontado na minha direção e tentando mostrar à todos onde eu estava. Ninguém mais poderia me ver, a não ser que eu quisesse. Eu não era mais humana. Meu corpo estava dentro de uma caixa de madeira...
Todos pensaram que minha mãe estava tendo alucinações pelo fato de estar abalada com minha morte, mas o que ela viu foi real!
Se eu sou um espírito vagando pelo mundo dos vivos? Não. Não mesmo! Sou algo a mais do que isso, estou cumprindo um chamado: amor.

Primeiro Capítulo
INTRODUÇÃO À HISTÓRIA DE ARELLI
1 – SURGE UM ANJO: ARELLI, A LEOA DE IAWEH.
.
“E porei inimizade entre ti e a mulher, e entre o teu descendente eo seu descendente. Ele te machucará a cabeça e tu lhe machucarás o calcanhar” (Gênesis 3:15)

Pouco antes de nossos antepassados, Adão e Eva, serem expulsos do Paraíso, o próprio Deus Todo poderoso, Iaweh, anunciou sua profecia para reivindicar Sua soberania que foi posta à prova pelo seu opositor, um arcanjo criado diretamente pelas suas mãos, amado como um filho, Abiel.
Esta profecia foi descrita em códigos, porém cheia de detalhes, ao apóstolo João enquantro ele estava preso na ilha de Patmos, pelo glorioso príncipe celestial, o herdeiro do trono de Iaweh, o próprio Emanuel. Este relato está registrado no livro de Apocalipse (Apokalypsis em grego, que significa: Revelação).
Para o perfeito cumprimento dessa profecia, Deus preparou várias criaturas para estarem ao seu dispor, porém, dentre tantas, tinham onze que realizariam as principais tarefas: sete anjos para levar as mensagens às sete congregações – Éfeso, Esmirna, Pérgamo, Tiatira, Sardes, Filadélfia e Laodicéia - e quatro arcanjos. Eis os arcanjos:
O primeiro e mais importante: Emanuel, o chamado “Deus conosco”, que desceu à terra como homem e foi torturado e morto, para voltar ao seu Pai e assumir seu trono no tempo certo. O único com o poder de justiça imaculada chamado para ser o cavaleiro branco que julgaria os humanos e as criaturas espirituais. Este representa a justiça pura de Iaweh.
O segundo: Abiel, o chamado “de quem Deus é pai”, o anjo rebelde que já foi conhecido como Lúcifer – filho da Luz – agora chamado de Satanás, o “opositor”. Ele deu início a maior guerra de todas: a guerra no céu. Ele foi chamado para ser o cavaleiro vermelho, o cavaleiro da guerra. Este representa a ira de Iaweh.
O terceiro: Gabriel, o chamado “homem de Deus”, o fiel, o mensageiro. Foi escolhido para ser o cavaleiro sem cor, o cavaleiro da morte, o que seria responsável pela execução dos condenados por Emanuel. Este representa a força de Iaweh.
O quarto arcanjo: Arelli, a leoa de Iaweh, a fome de justiça e de todos os desejos dos homens. A menor e mais doce criatura dos céus. Esta bela despertaria desejos nas criaturas celestes, portanto, ela teria que ser escondida e descer à terra no tempo certo para o cumprimento da profecia. Por esse motivo Iaweh resolveu criá-la milhares de anos após seu pronunciamento, evitando assim o desejo de fornicação nos anjos e o pecado em sua morada sagrada. Arelli nasceria na terra como humana e se tornaria um anjo no tempo determinado.
Sendo Arelli tão bela e diferente pros anjos já existentes, seria então inevitável que o anjo que a ajudasse na transformação se apaixonasse por tão formidável e exótica criatura.
Iaweh sabia que Emanuel teria que permanecer puro para que sua justiça não se alterasse ao pensar nela. Emanuel não poderia transformá-la.
Gabriel não faria suas execuções se ela o seduzisse e pedisse para que não cumprisse sua tarefa. Gabriel também não podia transformá-la.
Porém, Abiel, o chamado Lúcifer, guerrearia por ela, mataria por ela, cumpriria o papel que lhe foi designado. Ele foi o escolhido para Arelli, ela foi feita pra ele. O guerreiro e a leoa. Juntos eles bagunçariam toda a terra e trariam o fim desse sistema.
Iaweh tinha então seus quatro cavaleiros: Emanuel – Seu filho; Gabriel – um anjo criado; Abiel, o chamado Lúcifer – um anjo caído; Arelli – um anjo nascido.
Toda essa profecia tinha um só problema, não para Iaweh, porque tudo o que ele fazia era perfeito, mas para Lúcifer: ele seria destruído. Foi quando ele planejou matar Arelli antes dela nascer, mas de uma maneira milagrosa ela sobreviveu. Quando ela alcançou certa idade, houve uma nova tentativa da parte de Lúcifer para destruí-la. Mas já era tarde demais, ele já tinha caído de amores por essa beldade. E mesmo assim ele continuou com suas investidas, mas voltava atrás. Ele não entendia o amor, porque nunca tinha amado, e sentiu medo. Uma controvérsia emocional o rasgava por dentro. Ele a queria morta e, ao mesmo tempo, a queria viva pra ele...
E Arelli viveu na terra, como humana, durante um tempo sem nem sequer imaginar o que ela era. E depois que Lúcifer a encontrou, sua vida mudou, sua alegria acabou até ela se dar conta que ele era seu cavaleiro e que ela tinha sido criada pra ele. O que ele não esperava era que os sete anjos se envolveriam na vida dela, o que era bom e ruim ao mesmo tempo. Bom porque atrasava o cumprimento da profecia e, por consequência, sua destruição. Ruim porque também atrasaria a união dos dois e a paixão de Arelli por ele.
Depois que eu descobri isso, eu realmente pude ver o que é amor!
Bem vindos à história de Arelli, a minha história, a minha vida, como tudo começou e como eu descobri que nem tudo é o que parece...
 
E ai, o que acharam?
Abençoados sejam!

2 comentários:

  1. devia ter cuidado com que escreve ...........

    ResponderExcluir
  2. Camila Galindo12/01/2011 10:51

    como assim???

    ResponderExcluir

Sua Opinião é Muito Importante para nós!

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.